Direção Geral do Território disponibiliza Carta de Perigosidade de Incêndios

Chegamos à época do ano em que os fogos rurais são uma realidade que ameaça parte do território nacional. Isto leva a que se despenda uma quantidade muito elevada de recursos financeiros e humanos para combater os efeitos deste cenário. Naturalmente, a prevenção acaba por ser uma estratégia mais eficaz do que a reação. Isto levou à criação da Carta de Perigosidade de Incêndio Rural. Uma medida preventiva face a esta realidade por parte da Direção-Geral do Território que disponibiliza aos municípios e demais entidades envolvidas no Sistema Integrado de Gestão dos Fogos Rurais.

Esta carta trata-se de um elemento crucial que permite o acesso a informação cruzada do ordenamento do território, do ordenamento florestal e da prevenção estrutural, para a definição dos condicionamentos às atividades de usufruto dos espaços rurais. 

O conhecimento integrado assume relevância estratégica para o planeamento e alocação de meios de vigilância e combate aos fogos.

A Carta de Perigosidade de Incêndio Rural comporta cinco valores de perigosidade: «muito baixa», «baixa», «média», «alta» e «muito alta».

Os territórios de perigosidade considerada «alta» e «muito alta» assumem uma maior prioridade na alocação dos recursos preventivos sendo integradas nas plantas de condicionantes dos planos territoriais.

A Informação Geoespacial é um elemento de elevado valor no que toca à gestão territorial, principalmente quando se estão administrar áreas naturais susceptíveis a incêndios ou qualquer outro tipo de desastres naturais. As estratégias preventivas que se apoiam na utilização deste tipo de informação agilizam a coordenação dos recursos necessários à manutenção destes espaços. Assim é possível garantir a preservação e a sustentabilidade do nosso território nacional.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *