Ortofotomapas verdadeiros – vistas aéreas da cidade do Porto e Gaia

Os ortofotomapas são um produto cartográfico de muita procura dado a sua grande utilização como base em todos os sistemas de informação geográfica devido à relativa facilidade, rapidez e baixo custo com que podem ser produzidos.

True Orthos – perspetivas ortorretificadas do Funchal

Partilhamos uma perspetiva ortorretificada do Funchal, em que podemos observar as diferenças entre os ortofotos convencionais e os ortofotos verdadeiros de 2018.

Desenvolver sistemas mais inteligentes para a gestão de resíduos municipais

Vivemos num mundo cada vez mais preocupado com a ecologia e com a sustentabilidade. A gestão de resíduos municipais é um tema fundamental dentro desta área, por isso existe hoje, mais que nunca, um forte desejo de a optimizar. Para isso é preciso, em primeiro lugar, entender que esta atividade é fundamentalmente baseada na geo localização. Assim sendo, é natural que a implementação de Sistemas de Informação Geográfica (SIG) seja um passo fundamental para melhorar este setor. Os SIG permitem a possibilidade da recolha digital de dados e o acompanhamento em tempo real dos mesmos. Consequentemente isto leva a uma melhoria na administração da informação bem como optimização da força de trabalho dentro do campo dos resíduos municipais.

Mobile Mapping by InfoPortugal

Mobile Mapping: uma vantagem na recolha de dados geoespaciais

Os sistemas de Mobile Mapping consistem num processo de recolha de dados geoespaciais, passíveis de mapear por meio de um veículo em movimento, equipado com uma tecnologia de deteção remota, seja através de registos fotográficos e em vídeo, radar ou LiDAR. A recolha em vídeo das vias em várias perspetivas, possível através da integração de múltiplas câmaras concêntricas, permitem criar dados SIG, imagens e vídeos georreferenciados. E o resultado da combinação das várias perspetivas georreferenciadas designamos de videografia.

Programa de Transformação da Paisagem (PTP)

Portugal detém uma mancha florestal de uma escala considerável.  Estas áreas, muitas vezes de difícil acesso físico, requerem um cuidado próprio e constante. Diversos riscos, como o risco de incêndio florestal, exigem uma intervenção significativa na floresta. Para uma maior eficácia na gestão florestal é fundamental um conhecimento adequado e actualizado da área em questão. A caracterização destas áreas quanto à ocupação do solo, rede viária, superfícies com água e postos de vigia é de extremamente importância. 

5 tipos de mapas

Um mapa pode ser definido simplesmente como uma imagem ou um conjunto de imagens representativas da superfície da Terra. Por norma os mapas servem para representar as características físicas de uma determinada área geográfica tais como o relevo, fronteiras, corpos d’água, localizações de cidades e assim por diante. Mas existem diversos tipos de mapas, cada um com as suas próprias funções e características. Aqui ficam cinco exemplos de mapas distintos.

Ortofotomapas 3D

Os ortofotomapas são soluções cartográficas largamente utilizadas por serem do ponto de vista económico e de tempo de execução muito vantajosas e de utilização simples e expedita em qualquer software CAD ou SIG. Contudo, a sua grande limitação é o facto de reportarem apenas informação 2D, não permitindo ter informação sobre declives, altura dos edifícios ou cota do terreno.

Mapas digitais de suscetibilidade a inundações

As inundações são desastres naturais muito frequentes e que causam danos económicos, sociais e ambientais em todo o mundo. Durante muitos anos, o estudo e a gestão de planícies susceptíveis a inundações tornavam-se muito dispendiosos e de difícil obtenção, uma vez que grande parte destas análises eram realizadas manualmente com recurso a mapas de papel.

Hoje em dia, as tecnologias dos Sistemas de Informação Geográfica estão a contribuir para a criação de mapas digitais de suscetibilidade a inundações precisos, atualizados de uma forma mais rápida e com menor custo.

O potencial dos SIG no Projeto AURORAL

De uma forma ou de outra, todas as áreas de intervenção do AURORAL terão de integrar SIG. Por exemplo, o planeamento de transportes inteligentes necessita webmapping, de sistemas de tracking e até mesmo de uma base de dados de cadastro predial. A estruturação  de um sistema energético necessita de cartografia  para poder selecionar as melhores localizações das suas infraestruturas. E até mesmo na área da saúde, que atualmente implementa informação geoespacial para a gestão de grandes quantidades de informação.

Análise de informação tridimensional

O crescimento da importância deste tipo de informação dentro da área dos SIG deve-se bastante ao aparecimento muito significativo de inúmeras formas de criar, mapear e medir informação tridimensionalmente. Modelos digitais de terreno e de superfície, nuvens de pontos, modelos 3D e realidade aumentada são exemplos de formatos que geram dados 3D.