10 princípios que levam os Municípios a impulsionar o Turismo em 2022

2022 começa com expectativa e previsões positivas para o Turismo nacional e internacional. Vários especialistas do sector apontam para um crescimento significativo face aos dois anos anteriores. O fim das restrições de viagem, as campanhas de vacinação e a renovação da confiança nas viagens, são bons argumentos para este cenário optimista. Conseguiremos finalmente contrariar os recuos e instabilidade da atividade turística verificados em 2020 e 2021, motivados pelo surgimento de novas variantes da COVID-19 e espera-se o regresso a uma nova normalidade com resultados relevantes.

Em Portugal existem várias medidas, programas e incentivos favoráveis para que isto aconteça e caberá sobretudo aos municípios criar a estrutura da gestão turística de cada território. O Turismo é um grande impulsionador de desenvolvimento da economia e das comunidades locais e, portanto, será a sua visão e estratégia que irão fortalecer a oferta turística nacional. O papel dos municípios no crescimento do Turismo em cada região é fundamental, por isso apontamos 10 princípios que levam os Municípios a impulsionar o Turismo no seu território, tendo em conta as tendências do mercado apontadas para este ano:

  1. Notoriedade do destino: a promoção turística e a certificação do destino contribuem para melhorar o seu posicionamento, sendo também garantia de qualidade. A aposta no Turismo Sustentável e os certificados de sustentabilidade foram destacados no ano passado como uma forma de renovar o Turismo em Portugal e  um poderoso argumento junto dos mercados internacionais.
  2. Valorização das comunidades e tradições: o turista procura cada vez mais conhecer, envolver-se nas comunidades locais e participar em atividades que proporcionem experiências autênticas e genuínas, que envolvam os recursos endógenos. O Turismo Gastronómico e a procura por destinos “foodie” é uma das tendências para os próximos anos, permitindo servir de montra destes produtos regionais.
  3. Melhoria da oferta cultural: o Touring cultural vem trazer novas exigências para descobrir e alargar o Património e Cultura de cada região;
  4. Qualificação dos espaços: a necessidade de criar infraestruturas de visitação dos espaços vem qualificar e atualizar os locais, de acordo com as exigências do mercado.
  5. Combate à degradação: o Turismo gera oportunidades para a recuperação de locais, ruínas e reabilitação de sítios marginais;
  6. Fomenta a inovação e colaboração entre empresas: a criação de pacotes turísticos que envolvam vários serviços e agentes tornam-se mais apelativos ao turista de hoje, o que permite que empresas e agentes operem em conjunto para criar um produto inovador.
  7. Preservação do ambiente e da Natureza: o Turismo de Natureza, os percursos pedestres e as atividades ligadas ao Turismo ecológico e sustentável contribuem para a conservação e sensibilização das populações para a sua preservação.
  8. Motor económico: o turista enquanto consumidor e o todo o comércio gerado à volta do Turismo são fonte de receita. Cada vez mais as fronteiras entre o turista e os agentes turísticos são ténues e a tendência para a sua participação ativa nas comunidades é também impulsionador económico e novas oportunidades de negócio.
  9. Promove o emprego e melhora a qualidade de serviço: todo o negócio à volta do Turismo cria postos de trabalho e a necessidade de formação especializada vem capacitar os profissionais de turismo.
  10. Dinamização e revitalização da região: em resultado da contribuição do Turismo na economia e no índice de empregabilidade, dá-se uma maior fixação da população principalmente nos concelhos do interior, onde a população é reduzida. A atração de turistas para este locais menos conhecidos e a organização de eventos dinamiza e revitaliza a região. Em simultâneo, permite canalizar visitantes para fora das grandes cidades, de forma a precaver a saturação destes centros turísticos.

Este será o início de uma nova fase do Turismo em Portugal (e no resto do mundo) em que se espera implementar as medidas emergentes já no ano anterior e caminhar para uma forma de Turismo responsável. A sustentabilidade e a inovação serão pilares de atuação para os municípios e outras entidades de turismo, para o desenvolvimento de produtos, serviços e negócios inovadores, que qualifiquem o território e tragam benefícios para as comunidades locais e empresarial, ao mesmo tempo que impactuam positivamente no meio ambiente.

O investimento em Soluções Tecnológicas de Turismo inovadoras é fundamental para implementar a estrutura de gestão turística do território de cada Município. Saiba qual é a melhor opção para o seu Município, entre em contacto connosco ou veja aceda ao nosso portfolio. Temos todo o gosto em apresentar uma solução à sua medida.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *