Serf_driving

A importância dos mapas na condução autónoma

A condução totalmente automatizada requer um sistema de controlo inteligente composto por sensores e tecnologias de alto desempenho.

O enorme potencial para aumentar a segurança e a performance na estrada, advirá da qualidade dos mapas a utilizar. E são eles o mais importante elo de ligação para com os veículos autónomos. Constituem um elemento essencial para a próxima revolução da mobilidade. Uma revolução com um enorme impacto sobre todos nós. 

Fortemente empenhada em acompanhar o desenvolvimento tecnológico, a InfoPortugal conta com um histórico de mais-valias na informação geográfica cujo valor se revela incalculável. A informação geográfica não pode ser imutável e, como tal, há uma preocupação efetiva de produzir conteúdos com o devido valor acrescentado. Os nossos sistemas de informação geográfica passam por atualizações constantes e rigorosas, a fim de cumprir, a todo o momento, as características necessárias a novas necessidades, como é o caso destas tecnologias que necessitam de ter como base de uma nova categoria de mapeamento. É também uma constante preocupação, a otimização dos nossos modelos digitais de superfíciecom todas as suas propriedades tridimensionais e o cadastro de informação de primordial importância, tendo em conta que constituem a metadata que “alimentará” pontos específicos no mapa.

Especialmente em situações críticas, o sistema de deteção e controlo de um veículo autónomo deve ter tempos de reação rápidos.

Vista aérea de veículos autónomos

Os primeiros e mais relevantes “sentidos” de um carro autónomo comparáveis aos sentidos humanos é o tato, que tem aqui um paralelismo com o LiDAR, um processo baseado em laser de alta resolução que deteta o ambiente ao redor do carro e ainda a visão, comparável ao Sistema de Posicionamento Global (GPS), que permite a localização geográfica do carro. O veículo usa modelos digitais de superfície repletos de informação geoespacial, que juntamente com os restantes sensores, formula uma perceção do seu posicionamento e calcula a sua trajetória. 

Paralelamente à simples função de navegação e localização, os mapas poderão também servir os utilizadores de outras formas, armazenando os seus gostos, hábitos e preferências. Desta forma, é expectável que a condução sofra menos distrações, além de obter e usar informações personalizadas, precisas e relevantes.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *