Quais as suas memórias do ano de 2001?

A InfoPortugal assinala dia 23 o seu 20.º aniversário. Desde 2001, ano de fundação da empresa, muita coisa mudou…

2001 foi um ano de várias emoções. É inevitável mencionar a tragédia do 11 de Setembro ou o acidente da Ponte de Entre-os Rios, em Portugal, que abalaram a nossa realidade e cujo eco se mantém até aos nossos dias. Mas hoje vamos falar de esperança: da esperança que, na virada do século, fazia adivinhar mais e melhor… sobretudo a nível tecnológico. E foi com isso em mente que a InfoPortugal nasceu e se lançou no mercado.
Se atualmente a Internet se vulgarizou no mundo moderno, em 2000 só 4% da população mundial tinha acesso. Além de ser uma ferramenta residual, navegar na Internet podia revelar-se uma tarefa bastante exigente, com conexões lentas e modems barulhentos. Não obstante, o crescimento, a partir daí, foi impressionante, e o email normalizou-se como um dos principais meios de comunicação. Por sua vez, não havia Facebook (2004), Youtube (2005) ou Twitter (2006), por exemplo: as redes sociais, e o seu impacto, era ainda uma miragem.
Embora os telemóveis começassem a ganhar alguma importância, tirar fotos ou gravar vídeos era uma tarefa bem mais trabalhosa. As máquinas fotográficas tinham rolo e, para ver o resultado final, era preciso ir a uma loja especializada – muitas vezes, só sabíamos se a fotografia tinha ficado bem na hora de revelar.
Do geral para o particular, em 2000 surgia o GPS para o cidadão comum – inicialmente utilizada por meios militares, tinha evoluído para uma ferramenta acessível. É certo que já não sabemos viver sem ele, mas até então era comum viajar com mapas e, sobretudo, perder-se… Fazia parte da experiência. Ainda assim, o GPS fazia adivinhar altos voos, um sem fim de possibilidades e várias oportunidades novas de negócio.
Armazenar informação também era bem mais complexo – no início do século XXI, ter um disco rígido de 10 GB era considerado um verdadeiro luxo. Os processadores eram menos capazes e céleres; algo tão simples como passagem de informação podia demorar largas horas e, nalguns casos, até dias.
Mas adivinhavam-se dias melhores, que efetivamente chegaram. Além dos factos, a natureza de 2001 também se escreve de ambição e, como percebemos, era uma altura propícia a novos projetos. O céu era o limite e, no caso da InfoPortugal, continuamos a chegar lá…
0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.