A complexidade das coisas simples

“Não fazemos a mínima ideia que o nosso telemóvel está a receber micro-ondas provenientes de várias constelações de satélites artificiais, geridos por organizações militares Americanas, Russas e Europeias, em diferentes estados de maturação evolutiva, nem que essas micro-ondas transportam dados de relógios atómicos, e que a nossa localização é calculada em função da velocidade de propagação da onda eletromagnética transportadora do tempo (…)”