Todas as cores que a Ribeira tem (e a InfoPortugal também)

O que têm em comum a carismática Ribeira do Porto e a InfoPortugal? Ambas podem ser exploradas de perspectivas diferentes, mas a experiência será sempre um caso de sucesso.

«Quem te vê ao vir da ponte
És cascata, são-joanina
Erigida sobre o monte
No meio da neblina».

Assim canta Rui Veloso no seu “Porto Sentido”, com letra de Carlos Tê. Poucas palavras devem ilustrar tão bem a pujança da Ribeira do Porto a cada chegada à cidade, com uma plenitude de cores, movimentos e sons tão característicos quanto a própria cidade do Porto. A sua versatilidade é uma evidência a cada regresso, e uma certeza a cada passagem pelas ruas estreitas, pelos espaços tradicionais e pelas pessoas, genuínas, que também ‘pintam’ a Ribeira de múltiplas texturas.

Podemos descobrir a Ribeira do Porto de várias formas. Aos poucos, como um mapa que nos aproxima do destino, à boleia do GPS ou ainda do tradicional formato em papel, até as linhas e cores se transformarem em calçada, casas e pontos de interesse reais. Ou pela fotografia, eternizada pela lente da objectiva, de diferentes perspetivas – mais perto, mais longe, do outro lado do Douro ou à porta –, que leva a beleza da Ribeira na memória e, inevitavelmente, a transporta pelas redes mundo afora. Além do lado visual, todavia, há aspetos e momentos que só as palavras serão capazes de partilhar, mesmo que por vezes estas nos possam faltar.

Também a InfoPortugal é plural e feita de diferentes camadas. Ora vejamos, tem cartografia, com uma multiplicidade de mapas de variados formatos e adaptáveis à medida dos clientes. Tem imagem, desde logo pela maior comunidade portuguesa de fotografia, o Olhares, mas também cultiva a experiência espelhada em diversos portais e apps turísticos e outros projetos de âmbito nacional. São exemplo disso as visitas virtuais e as experiências 360º. Mas tem igualmente uma forte componente de produção de conteúdos, capaz de trocar os desafios difíceis pelas palavras certas, numa viagem constante pelo poder que a palavra mantém, mesmo na era digital.

Apesar de nenhum cantautor de renome lhe ter dedicado uma canção (até agora), a InfoPortugal ambiciona, e trabalha para que cada reencontro tenha o brilho e a cor de um regresso a casa.

Sara Quelhas, Produtora de Conteúdos

Patrícia Teixeira, Analista de SIG

Cláudia Santos, Designer

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *